quinta-feira, setembro 25, 2008

Regresso às jaulas


"O Coveiro" é uma curta metragem de André Gil Mata que tem várias sequências de animação em imagem real. Os daltonic brothers foram chamados a intervir nesta façanha, e depois de várias experiencias em laboratório, inventaram uma nova técnica de animação que mistura várias outras já conhecidas como a pixilagem, a rotoscopia, a animação de volumes, e outras trucagens. Estudou-se Eadweard Muybridge e a sua decomposição do movimento, Ray Harryhausen, Jan Švankmajer e os Brothers Quay nas suas técnicas de animação de volumes, e bebendo a influência dos grandes Mestres, chegou-se a esta nova técnica inovadora.
Esta técnica foi baptizada de "triki-triki".
E no que consiste o "triki-triki"?
Fotografa-se o sujeito, por vezes em sequência de imagens, recorta-se posteriormente cada foto à mão e faz-se a composição final, juntando fundos das mais variadas proveniências (um chão no Porto, uma parede na Beira , uma ponte em Amarante).



Pergunta: Quais são as vantagens do triki-triki?
Aparentemente, nenhumas, a não ser mais demorado, mais dificil, haver mais probabilidades de tendinites, deficiencias oculares, ou pesadelos psicóticos.
Contudo a rotina automática do recorte diário, foto após foto, pixel após pixel, é, segundo alguns operadores de triki-triki, altamente terapêutica, induzindo estados de auto-hipnose quase equivalentes a uma estadia num SPA.



Seria talvez uma solução para a depressão nacional haver um movimento de filmes em triki-triki, que causaria o aumento da produtividade, de postos de trabalho e do bem estar . Ocupando os cidadãos numa rotina automática, porém criativa e realmente produtiva, haveria a diminuição do stress e do consumo de antidepressivos que está a tornar Portugal num país apático.
Libertava-se o povo da rotina burocrata , dependente do crédito, das grandes empresas e do Estado-Vilão.
Teríamos filmes com um aspecto diferente do normal (isso já temos...), num falso 3D, mas com melhor aspecto, e um "look" superior ao deprimente croma. O triki-triki é a retoma!
Aumentaríamos a nossa auto-estima cinematográfica, recuperando espectadores que têm sido afugentados sistemáticamente das salas pelo academismo bacoco ou pelo cinema comercial-pseudo-indústria.
Com paciência e perseverança tudo se alcança !


Nestes exemplos, o grande David Almeida, debruça-se na ponte de Amarante e vê o seu reflexo no rio.

4 comentários:

marmanja disse...

muito fixe o triky triky...

teresa disse...

gramei!
nada como as boas ideias que não servem para nada, para o mundo andar para a frente!

T.F.

Bloom * Creative Network disse...

Aqui do outro lado do mundo continuamos a adorar os Daltonic Brothers!

Anónimo disse...

ISTO É MAGIA!