sábado, dezembro 27, 2008

"Alpha Omega" chega à coleção Bernardo.

"Um signo é uma coisa que além da espécie ingerida pelos sentidos, faz afluir por si própria ao pensamento qualquer outra coisa"
Sto. Agostinho


O novo ciclo de Guadalupe Vieira, "Alpha Omega", chega à coleção Bernardo com quatro peças fundamentais da arte contemporânea.








Neste trabalho, o plano de expressão intercepta-se com o plano do conteúdo. A "luz", deixa de ser a "luz" para ser a representação psíquica da "luz". A união entre a semiologia e a semântica eleva-nos para o plano da significação pura. Através do signo, Guadalupe Vieira proporciona o confronto do consciente com o inconsciente profundo, do real com a fantasia, da luz com o abismo.
Citando a artista:
"Nas viagens pelo meu universo interior, perco-me e encontro-me. Num processo de transfiguração, deixo de ser eu e passo a fazer parte da luz e do seu percurso. Não tenho corpo, Eu sou o próprio Universo."
Nakamura, O., in Trânsitos, pp234, 2008

4 comentários:

andre gil mata disse...

man
o artista é esquizofrénico ou têm dupla personalidade?
é o Nakamura ou Guadalupe?
saudações nortenhas num fim de ano fanhoso

andre gil mata disse...

http://historiasdedalton.blogspot.com/2007/01/daltonicos-famosos.html

os vossos hermanos!!!!!!!!!!!!

nuno gouveia disse...

"A união entre a semiologia e a semântica eleva-nos para o plano da significação pura" ou, se o plano já estiver cheio podemos esperar no lounge do http://www.cresceiemultiplicai-vos.blogspot.com/

vitória disse...

Nakamura revela, sem sombras de dúvida, uma Depressão Esquizóide, ao passo que Guadalupe Vieira padece de uma Mania Disfórica. A união dos dois resulta num estado de Bipolaridade bastante interessante. Não foi por acaso que a obra de um despertou o interesse do outro. O amor é belo!