quinta-feira, dezembro 15, 2005

o último elo criativo

Quando tudo parece finalmente acabado, quando os varios meses, ou anos que se passaram em testes, filmagens, correcções, laboratórios, dobragens, genéricos, cópias, quando todo este processo finalmente parece acabado, e os filmes prontos a exibir, os cineastas deparam com mais um elemento criativo no seu filme: o projeccionista.

Hoje inauguramos uma série de personagens secundárias, porém essenciais ao processo criativo.
Desde já vai um abraço a todos os projeccionistas deste país e do mundo.


6 comentários:

espectador atento disse...

isto das janelas, não sei nada...mas acho que estão a tentar degrenir a fama de uma classe que além de trabalhar muito e a más horas, nos dá muitas horas de prazer. Depois de o trabalho "artístico" estar terminado, quem é que se vê ás aranhas com a pelicula partida, queimada, mal enrolada e mesmo assim não desiste, muitas vezes sem ter sequer oportunidade de ver o filme.
São eles os projecionistas! Se nesses festivais arranjam curiosos para fazer o trabalho, não se queixem depois...

abrocas disse...

A película já não arde há uma boas décadas, felizmente, e nós respeitamos muito os projeccionistas, o que não nos impede de brincar com eles ,sem querer denegrir ninguem... Um espectador atento reparará concerteza quando os filmes passam ou não com a janela certa...Se houver personagens decapitados é porque algo está errado e não estamos a falar de festivais de cinema mas tambem de salas...

marmanja disse...

o abrocas tem toda a razão, eu estou bem farta de ir ao cinema , pagar um balordio e depois vêr que o filme está desfocado! E o mais estranho é que sou a unica a dar-me ao trabalho de me levantar e ir á sala de projecção pedir para o focarem, parece que o pessoal se está nas tintas, ou então precisam de oculos,,,

Anónimo disse...

primeiro: muitas vezes o enquadramento não é o melhor devido á distancia entre o projector e a tela , ou o tamanho da sala , como preferirem.
porque o que interessa é fazer dinheiro, e os visionadores nem sequer vão notar se construir-mos 3 salas no espaço de uma.
segundo: em portugal não há qualquer formação nessa area, e a maior parte das pessoas q ai trabalham , podiam estar a vender gelados na praia q o efeito seria o mesmo. o que faz com que os jovens que se iniciem nessa area irão ter formação com alguem que tambem não tem qualquer formação.e muitas vezes não tem qualquer sensibilidade, necessaria para esta tarefa, o que provoca casos como eu já presenciei em que o projeccionista chefe não usa o termo enquadrar, mas sim, quadrar!!!e claro todos os seus seguidores adotaram esse termo.
terceiro: a pelicula não arde mas derrete e já não seria a primeira vez q um fogo se iniciaria devido ao sobreaquecimento da pelicula, sem esquecer q as lampadas dos projectores, mais modernos , tem normalmente mais de 1000watts, o que as transforma em autenticas bombas .


daniel






viva o pai natal(que tambem é daltonico, dai tudo encarnado)

Anónimo disse...

ah, esqueci-me de mencionar tambem que quando um filme tem legendas , o projeccionista está sujeito ao bom senso da pessoa que legendou o filme . muitas vezes as legendas vem tão em baixo do frame, que tem de se subir muito a janela, para se conseguir ler , o que provoca o cortanço de cabeças.


(ou talvez não, e a janela 1:85 seja realmente a melhor para filmar gajas,hihihi)

daniel

abrocas disse...

exacto, mais um elemento criativo
tão menosprezado é a pessoa que coloca as legendas, o insersor de caracteres , mas voltaremos a ele
brevemente...